Porquê e por quem o Grêmio Esportivo Juventus foi criado?

Conforme a ata original de fundação, em seu artigo 3º, as cores da recém-fundada equipe seriam o vermelho, o preto e o branco. Isso mesmo, o Juventus é tricolor e não utilizava o bordô em seus primórdios. Isso joga por terra a ‘lenda urbana’ de que a inspiração para o nome da equipe foi o homônimo existente em São Paulo (SP).
Received 616018142067213
Divulgação: Arquivo pessoal

Por Henrique Porto

Você já se perguntou alguma vez sobre o porquê do seu clube do coração existir? Já teve a curiosidade de saber quem seriam seus fundadores e quais os pretextos que os levaram a oficializar a agremiação? O motivo da escolha de suas cores, nomes e escudo? Neste 52º aniversário do Grêmio Esportivo Juventus o site Juventus Jaraguá abre o seu baú e traz até você diversas curiosidades sobre o nosso ‘Moleque Travesso’.

Mas, para recontar a história do Juventus precisamos retornar à Jaraguá do Sul da década de 1960. Se hoje nossa cidade é exemplo para todo o Brasil, definitivamente a semente foi plantada naquela época, por iniciativa de um visionário chamado Padre Elemar Scheid. Sob seu comando nasceu o Grêmio da Juventude Católica, movimento que reunia os jovens da época para estudos, encenar peças de teatro, promover bailinhos (ninguém é de ferro) e, a partir de 1963, praticar esportes.

Tal qual o Juventus, a Fundação Educacional Regional Jaraguaense (FERJ, hoje Católica SC) foi fruto direto das ações de Scheid. Já a chegada do SESI, do SENAI e do Corpo de Bombeiros Voluntários foi consequência de seu trabalho em prol da comunidade jaraguaense, se devendo em muito ao esforço de nomes como José Carlos Neves (popular Gê Neves), Mário Donini, Luiz Lanznaster e outros.

Mas voltando à história do Grêmio Esportivo Juventus, ela se inicia três anos antes de sua fundação (1963) quando a Congregação Mariana montou uma equipe para disputar partidas amistosas, tendo como palco o campo do Ginásio São Luiz (com ‘Z’ na época). Uma experiência que se encerrou ainda em 1964, com o retorno do Padre Elemar à Taubaté (SP), mas que deixou um gostinho de ‘queremos mais’ no ar.

Vestiram a camisa deste embrião juventino Elizaldo Leutprecht, Amando e Euclides Emmendoerfer, José Schmitz (popular Seu Caninha), Eugênio Strebe (futuro Prefeito), Octacílio Padro Ramos (futuro Deputado Estadual), Alberto Taranto, Marcos Dalprá, Mário Donini, Francisco Voigt, Arnoldo Pereira, Aldo e Norberto Piazera, entre outros.

Com o retorno do Padre Elemar para Jaraguá do Sul em 1966, enfim nasceu do Grêmio Esportivo Juventus. Foi no dia 1º de maio e conforme o estatuto original, em seu parágrafo 31º, vinte e sete pessoas são considerados como seus fundadores: Padre Elemar Scheid, Padre Odilo Erhardt, Elizaldo Leutprecht, Dorval Marcatto, Loreno Marcatto, Vergílio Chiodini, Renato Pradi, Victor Hansen, Octacílio Pedro Ramos, Mário Donini, Arnoldo Pereira, Hilário Schiochet, Luiz Sczernay, Teodoro Poett, Egon Holz, Bruno Leutprecht, Luiz Lanznaster, Mafredo Albus, Rainer Wille, Alberto Taranto, Aldo Piazera, Francisco Voigt, Mário Voigt, Norberto Gaulke, Amando Emmendoerfer, Fidelis Nicoluzzi e Norberto Piazera. Alguns desses nomes já lemos anteriormente, não é mesmo?

Bom, conforme a ata original de fundação, em seu artigo 3º, as cores da recém-fundada equipe seriam o vermelho, o preto e o branco. Isso mesmo, o Juventus é tricolor e não utilizava o bordô em seus primórdios. Isso joga por terra a ‘lenda urbana’ de que a inspiração para o nome da equipe foi o homônimo existente em São Paulo (SP). Na verdade o nome ‘Juventus’ é uma alusão ao Grêmio Esportivo da Juventude Católica ou, para ficar mais simples, Grêmio Esportivo Juventus.

O estatuto original sequer cita-se a expressão ‘Moleque Travesso’, que acabou adotada com o passar dos anos (os primeiros registros são da década de 1970). O clube inicialmente era conhecido pela insígnia ‘GEJ’, sendo seu primeiro escudo em formato semelhante ao do Clube de Regatas Vasco da Gama. Já o primeiro uniformes era quadriculado em vermelho e preto, antecipando em muitas décadas a moda lançada pela Seleção Crota.

Ainda em 1966 a equipe ganhou caráter competitivo e encarou a Segunda Divisão da Liga Jaraguaense de Desportos (LJD). De forma invicta, o sagrou-se campeã sobrepondo clubes como Botafogo, Laranjinha, WEG e Faixa Azul, este de Massaranduba. No dia 26 de novembro foi inaugurado o estádio próprio, que desde sempre foi denominado ‘João Marcatto’ em uma justa homenagem ao patrono de uma das grandes empresas da cidade na época e pai dos fundadores Dorval e Loreno Antônio (a relação dos Marcatto com o Juventus lembra muito a dos Matarazzo com o Palestra Itália, hoje Palmeiras/SP).

Sobre o Estádio João Marcatto, o terreno inicialmente contava com uma área de 10.120m² graças também às doações de terra de Vergílio Chiodini e Renato Pradi. Mas esta história será tema de uma postagem específica. A de hoje vai ficando por aqui e fique a vontade para comentá-la. Um abraço e feliz aniversário ao nosso Grêmio Esportivo Juventus!

publicado mais de 3 anos